Busca

Cartas às casas e federações espíritas

A Associação Brasileira de Psicoterapia Reencarnacionista manifesta a sua profunda preocupação com o rumo que a Terapia de Regressão vem tomando no Brasil e no mundo. Essa terapia já mostrou que não é um modismo, está estabelecida, sendo praticada por muitos médicos, psicólogos e psicoterapeutas no Brasil e em vários países, como se pode observar na literatura, na Internet e nos Congressos e Eventos nacionais e internacionais de TVP.

A nossa preocupação, que vem ao encontro da maior contestação, com absoluta razão, que essa Terapia de Vidas Passadas recebe de dirigentes e pessoas ligadas ao Espiritismo, diz respeito à interferência e à infração que uma certa parcela dos terapeutas de regressão comete em relação a uma Lei Divina: a Lei do Esquecimento.

O Método que utilizamos permite conciliar o aparentemente inconciliável: a Terapia de Regressão com a Lei do Esquecimento. Nesse sentido viemos fazendo uma integração com Casas e Federações Espíritas, visando um amplo debate entre o Espiritismo – e uma de suas bandeiras que é o respeito à Lei do Esquecimento – e os profissionais da área da saúde, praticantes, ministrantes de Curso de TVP, diretores e membros de Associações e Institutos de Terapia de Regressão, a respeito desse tema.

A Associação Brasileira de Psicoterapia Reencarnacionista tem, como uma de suas principais diretrizes, um absoluto respeito pela Lei do Esquecimento, ou seja, realizamos Regressões obedecendo a Lei do Esquecimento, conforme cita o “Livro dos Espíritos”, na questão 399 a respeito do “Esquecimento do passado”: 

“Mergulhando na vida corpórea, perde o Espírito, momentaneamente, a lembrança de suas existências anteriores, como se um véu as cobrisse. Todavia, conserva algumas vezes vaga consciência e lhe podem ser reveladas. Esta revelação, porém, só os Espíritos superiores espontaneamente lhe fazem, com um fim útil, nunca para satisfazer a vã curiosidade.”

O nosso Método regressivo obedece fielmente essa determinação. Ele consta dos seguintes aspectos básicos:

1º) O direcionamento da Regressão (recordação do passado) é totalmente decidido e dirigido pelos Mentores Espirituais das pessoas, sendo que o nosso psicoterapeuta não induz, não sugere, não sugestiona, não hipnotiza, não comanda e não conduz o processo regressivo, e, sim, apenas ajuda a pessoa a relaxar o seu corpo físico (meditação), para colocar-se ao acesso dos seus Mentores Espirituais, sem dirigir o retorno da memória, sem decidir o que a pessoa vai acessar e sem atender aos desejos e anseios desta em relação ao seu passado, nem sequer o motivo de sua consulta, sua queixa (física ou psicológica), muito menos alguma curiosidade sua. A atuação do psicoterapeuta, no nosso Método, é na fase inicial (Meditação), enquanto que as vidas passadas que irá acessar ficam totalmente a critério do Mundo Espiritual.

2º) Nunca é incentivado o reconhecimento de pessoas no passado, para não infringir a Lei do Esquecimento.

3ª) A pessoa é incentivada a recordar a vida passada que seus Mentores lhe disponibilizaram, até o momento de sua morte, o seu desencarne, a subida para o Mundo Espiritual (periodo inter-vidas) até todas as ressonâncias da vida terrena terem desaparecido e estar sentindo-se muito bem (Ponto Ótimo). 

4º) Ao final da Regressão (no Ponto Ótimo) frequentemente ocorre o recebimento de orientações, conselhos e instruções para sua vida atual.

O objetivo da Psicoterapia Reencarnacionista – a Terapia da Reforma Íntima – é, através de um tratamento de alguns meses, ajudar as pessoas, com consultas semanais ou quinzenais, de 1 hora de duração, e 3 ou 4 sessões de regressão (2 horas em média), a encontrarem o que André Luiz chama de “Personalidade Congênita”, em “Obreiros da Vida Eterna”, pág. 32-34, numa palestra do Dr. Barcelos, psiquiatra desencarnado, no Nosso Lar:

“Precisamos divulgar no mundo o conceito moralizador da Personalidade Congênita, em processo de melhoria gradativa… Faltam às teorias de Sigmund Freud e seus continuadores a noção dos princípios reencarnacionistas… As noções reencarnacionistas renovarão a paisagem da vida na crosta da Terra, conferindo à criatura não somente as armas com que deve guerrear os estados inferiores de si própria, mas também lhe fornecendo o remédio eficiente e salutar… Falta aos nossos companheiros de Humanidade o conhecimento da transitoriedade do corpo físico e o da eternidade da vida, do débito contraído e do resgate necessário, em experiências e recapitulações diversas…”.

Essa noção da Personalidade Congênita que o Dr. Barcelos pede que se divulgue pela crosta terrestre, é a nossa personalidade das vidas passadas nesses últimos séculos, é a personalidade que apresentamos desde que nascemos, o que diferencia um irmão de outro, numa mesma família, e é onde se encontra e se identifica a nossa proposta de Reforma Íntima.

Por isso ele pede e nós estamos seguindo a sua orientação, que essa noção seja difundida na Terra, para que as pessoas saibam para o que reencarnaram, baseando-se nela. Essa é o pilar básico da Psicoterapia Reencarnacionista e é onde encontramos nossa proposta de Reforma Íntima, a finalidade dessa nova Escola.

Mas como podemos ajudar as pessoas a encontrarem a sua Personalidade Congênita? Através das 2 ou 3 sessões de regressão que oportunizamos durante o tratamento, em que os seus Mentores escolhem as vidas passadas que irá acessar. 

Como se fosse no Telão que existe no Mundo Espiritual, comandado pelos Mentores das pessoas, aqui na Terra temos a Regressão, que deve ser, obrigatoriamente, também comandada por eles. A finalidade principal da Regressão, para a Psicoterapia Reencarnacionista, é oportunizar que a pessoa possa ver, na sua tela mental, como era a sua personalidade, a sua maneira de ser em encarnações passadas, para se comparar como é hoje, e saber então quais as suas inferioridades, as suas imperfeições, que vem mantendo nesse tempo todo, entender para o que vem reencarnando nesses últimos séculos e para o que reencarnou dessa vez, ou seja, qual a sua proposta de Reforma Íntima. 

O que diferencia a Psicoterapia Reencarnacionista da TVP é que, para essa, a finalidade clássica é o esvaziamento de suas emoções e sentimentos de lá, através da repetição do fato traumático, catarse, reprogramação, etc., enquanto que nós queremos ir mais além: que encontrem a sua Personalidade Congênita e aí o entendimento de sua proposta de Reforma Íntima.

A Psicoterapia Reencarnacionista é uma nova Psicologia, baseada na Reencarnação, que tem a finalidade de colaborar na aceleração da evolução espiritual da humanidade. No período intervidas, recordamos para o que havíamos reencarnado na última descida para a Terra e as frases mais ouvidas lá são: “Ah, se eu lembrasse…” e “Ah, se eu soubesse…” 

Pois bem, é chegada a hora de lembrarmos aqui, de sabermos aqui, durante a vida encarnada, para o que reencarnamos, qual nossa proposta de Reforma Íntima, a fim de realmente aproveitarmos essa passagem, no sentido da evolução espiritual.

É importante salientar que as situações kármicas interpessoais, o que houve entre pais e filhos, entre irmãos, etc., em outras vidas, não é mostrado pelos Mentores no nosso Método de Regressão, ou seja, as curiosidades das pessoas em saberem o que foram, quem elas e o pai, a mãe, o namorado, a namorada, o marido, a esposa ou algum filho, foram em vidas passadas, não é atendido pelos seus Mentores, que focam na sua Personalidade Congênita, ou seja, as pessoas vêm como foram nas vidas passadas que acessam, de acordo com a orientação do Dr. Barcelos.

Agradecemos a atenção e nos colocamos à disposição para conversarmos sobre o assunto.